Barra Cofina

Correio da Manhã

Boa Vida
8

Isco é a nova padaria que segue a regra das fermentações longas

Em três meses abriram duas padarias artesanais em Lisboa. Nunca se comeu pão com tanta criatividade.
Edgardo Pacheco 16 de Outubro de 2018 às 20:05
Isco é a nova padaria que segue a regra das fermentações longas
Isco é a nova padaria que segue a regra das fermentações longas
Isco é a nova padaria que segue a regra das fermentações longas
Isco é a nova padaria que segue a regra das fermentações longas
Isco é a nova padaria que segue a regra das fermentações longas
Isco é a nova padaria que segue a regra das fermentações longas
Isco é a nova padaria que segue a regra das fermentações longas
Isco é a nova padaria que segue a regra das fermentações longas
Isco é a nova padaria que segue a regra das fermentações longas
Isco é a nova padaria que segue a regra das fermentações longas
Isco é a nova padaria que segue a regra das fermentações longas
Isco é a nova padaria que segue a regra das fermentações longas
Quando nos anunciaram que havia uma padaria nova em Alvalade, em Lisboa - numa das transversais à avenida da Igreja mas sem indicação precisa -, não foi muito difícil dar com a casa. Foi só seguir a rota dos aromas intensos de pão, vindos da José D’Esaguy, n.º 10 C. É aqui que fica aquela que será a mais nova padaria artesanal de Lisboa e que, muito apropriadamente, se chama Isco.

Através de várias fornadas diárias temos acesso a pães muito diferenciados, mas todos feitos com as regras elementares da arte artesanal de fazer pão: farinhas inteiras, massa mãe (ou isco ou massa velha) e fermentações longas.

Este é um projeto a cargo de um jovem informático de formação que se encantou pelo mundo do pão na Suécia. Já tínhamos o caso de Mário Rolando (Padaria de Esquina) que mandou o Direito às malvas para viver de e para o pão. Temos agora o caso de Paulo Sebastião.

Ambos provam que isto de ser padeiro (vida de grande sacrifício) é, mais do que uma profissão, uma paixão. De maneira que aqui encontramos pães que facilmente identificamos como outras coisas um bocado fora da caixa, como este pão sueco da foto, feito com sementes de funcho. Bem bom. 

Novas casas apostam nos doces de padeiro
Noutros tempos os padeiros tinham muito orgulho numa série de doces chamados de padeiro. Croissant, Bolas de Berlim, Sidónios, Pães de leite, Caracóis e por aí fora.

Com o desaparecimento de muitas padarias de rua a tradição seguiu o mesmo rumo. Agora os novos padeiros querem recuperar os velhos hábitos. E é por isso que, na Isco, podemos comprar coisas como esta merenda de sementes de papoila, que na base é pincelada com manteiga. Um tipo vai comprar pão e quando chega a casa já comeu uma merenda de papoila ou um croissant guloso.

Todos os dias coisas novas para nos tentar. 
Ver comentários