Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Mulher descobre assassino do irmão no Facebook 37 anos depois do crime

Chris foi encontrado junto à costa da Guatemala em 1978.
24 de Agosto de 2018 às 19:49
Penny Farmer
O livro de Penny Farmer
Penny Farmer
O livro de Penny Farmer
Penny Farmer
O livro de Penny Farmer
Numa era em que tudo é rastreável na Internet e o Facebook é uma das maiores redes sociais que liga pessoas de todo o mundo, encontrar quem queremos não parece ser assim tão difícil. 

Penny Farmer perdeu o irmão há 37 anos quando este foi encontrado morto com a namorada a flutuar junto à costa da Guatemala. Chris e Peta Frampton foram torturados, amarrados e atirados ao mar. O irmão de Penny era um médico de 25 anos e a namorada era uma advogada de 24. Estavam de férias nas Caraíbas em julho de 1978 quando foram descobertos mortos. 

"Os aspectos de ambos os cadáveres eram monstruosos", disse o médico que autopsiou os cadáveres, citado pela BBC

Penny Farmer, uma jornalista britânica, tinha uma suspeita quanto ao assassino. A 2 de outubro de 2015, esta decidiu procurar pelo assassino no Facebook. E assim, à distância de um, clique, estava Silas Boston, o alegado homicida. Além de Silas, a jornalista encontrou também os seus dois filhos.  

De acordo com Penny, na altura os filhos do suspeito confessaram à Polícia os crimes do pai, mas não foram levados a sério. Penny e os filhos do homicida desenvolveram então uma intensa colaboração para que Silas fosse detido. 

Russel Boston, filho de Silas, alegou ainda que o pai também tinha matado a mãe que estava dada como desaparecida pelas autoridades.  

Após 38 anos impune, Silas é considerado suspeito dos homicídios de Chris e Peta. No entanto, doente e já com uma idade avançada, acabaria por morrer sem nunca ser condenado por nenhum crime. 

A história é agora contada por Penny no livro da sua autoria "Dead in the Water", publicado este mês. 

O alegado homicida confessou antes de morrer ter matado outras 33 pessoas. 



Ver comentários