Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
8

Vieira da Silva diz que corte adicional às reformas antecipadas seria "inaceitável"

Ministro do Trabalho diz que o fator de sustentabilidade não está presente na altura da reforma.
Lusa 20 de Março de 2019 às 15:11
Ministro do Trabalho, Vieira da Silva,
Ministro do Trabalho, Vieira da Silva
Vieira da Silva
Ministro do Trabalho, Vieira da Silva,
Ministro do Trabalho, Vieira da Silva
Vieira da Silva
Ministro do Trabalho, Vieira da Silva,
Ministro do Trabalho, Vieira da Silva
Vieira da Silva

O ministro do Trabalho, Vieira da Silva, afastou esta quarta-feira a hipótese avançada pela OCDE de aplicar em Portugal um corte adicional às reformas antecipadas, pois tal resultaria numa "inaceitável dupla penalização".

"Não fará nenhum sentido aplicar um fator de sustentabilidade a uma idade de reforma que é já determinada pela existência de um fator de sustentabilidade. Isso seria uma inaceitável dupla penalização", disse o governante esta quarta-feira na apresentação de um estudo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), onde participaram os autores do estudo.

Para Vieira da Silva, dizer esta quarta-feira - depois das mudanças que foram feitas em 2012 e 2013 - que o fator de sustentabilidade não está presente na altura da reforma é "uma compreensão um pouco distorcida da realidade", respondendo a uma das críticas do relatório da OCDE esta quarta-feira divulgado e que indica que a saída precoce da vida ativa deve ser desencorajada, através do aumento da penalização mensal do valor da pensão.

Ver comentários