Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
1

Nova concentração da CGTP no dia 6 de julho

CGTP aumenta contestação nas ruas contra executivo de Costa.
Beatriz Ferreira 10 de Junho de 2018 às 09:15
Milhares de pessoas desfilaram em Lisboa a exigir valorização do trabalho
Milhares de pessoas desfilaram em Lisboa a exigir valorização do trabalho
Milhares de pessoas desfilaram em Lisboa a exigir valorização do trabalho
Milhares de pessoas desfilaram em Lisboa a exigir valorização do trabalho
Milhares de pessoas desfilaram em Lisboa a exigir valorização do trabalho
Milhares de pessoas desfilaram em Lisboa a exigir valorização do trabalho
Milhares de pessoas desfilaram em Lisboa a exigir valorização do trabalho
Milhares de pessoas desfilaram em Lisboa a exigir valorização do trabalho
Milhares de pessoas desfilaram em Lisboa a exigir valorização do trabalho
Milhares de pessoas desfilaram em Lisboa a exigir valorização do trabalho
Milhares de pessoas desfilaram em Lisboa a exigir valorização do trabalho
Milhares de pessoas desfilaram em Lisboa a exigir valorização do trabalho
Milhares de pessoas desfilaram em Lisboa a exigir valorização do trabalho
Milhares de pessoas desfilaram em Lisboa a exigir valorização do trabalho
Milhares de pessoas desfilaram em Lisboa a exigir valorização do trabalho
Milhares de pessoas desfilaram em Lisboa a exigir valorização do trabalho
Milhares de pessoas desfilaram em Lisboa a exigir valorização do trabalho
Milhares de pessoas desfilaram em Lisboa a exigir valorização do trabalho
A CGTP anunciou este sábado uma concentração frente à Assembleia da República para 6 de julho, o mesmo dia em que o Parlamento discute as propostas do Governo de alteração à lei laboral.

O anúncio aconteceu no final da manifestação nacional organizada pela intersindical, que juntou milhares em Lisboa contra a precariedade.

"Exortamos todos os trabalhadores a contestar as matérias gravosas da proposta que o Governo e a direita pretendem impor", afirmou o líder da CGTP, Arménio Carlos.

Antes, BE e PCP apontaram no mesmo sentido. "Registamos com desilusão que o Governo tomou um lado", disse a bloquista Mariana Mortágua.

Jerónimo de Sousa, líder do PCP, criticou a "convergência" entre Governo e patrões.
Ver comentários