Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
8

Portugal e Angola assinam hoje protocolo que prevê a cooperação na área da investigação criminal

Documento é assinado pela ministra da justiça portuguesa e o ministro do interior angolano durante visita do Presidente de Angola a Portugal.
Lusa 23 de Novembro de 2018 às 07:53
Francisca Van Dunem, ministra da Justiça
Francisca Van Dunem
Presidente de Angola, João Lourenço, com a mulher, Ana Dias Lourenço, na visita a Portugal
Ana Dias Lourenço, a primeira-dama angolana, tem sido uma presença notória durante as várias etapas da visita de João Lourenço a Portugal
Presidente de Angola e Marcelo Rebelo de Sousa
Francisca Van Dunem, ministra da Justiça
Francisca Van Dunem
Presidente de Angola, João Lourenço, com a mulher, Ana Dias Lourenço, na visita a Portugal
Ana Dias Lourenço, a primeira-dama angolana, tem sido uma presença notória durante as várias etapas da visita de João Lourenço a Portugal
Presidente de Angola e Marcelo Rebelo de Sousa
Francisca Van Dunem, ministra da Justiça
Francisca Van Dunem
Presidente de Angola, João Lourenço, com a mulher, Ana Dias Lourenço, na visita a Portugal
Ana Dias Lourenço, a primeira-dama angolana, tem sido uma presença notória durante as várias etapas da visita de João Lourenço a Portugal
Presidente de Angola e Marcelo Rebelo de Sousa
A ministra da Justiça e o ministro do Interior angolano assinam esta sexta-feira um protocolo na área da investigação criminal, serviços penitenciários, reinserção social e ciências forenses, no âmbito da visita do Presidente de Angola, João Lourenço, a Portugal.

O protocolo, que será assinado por Francisca Van Dunem e Ângelo Veiga Tavares no Palácio da Bolsa, no Porto, prevê especificamente a cooperação na área da criminalidade grave e organizada, corrupção, tráfico internacional de drogas, branqueamento de capitais, terrorismo e seu financiamento, segundo informação prestada à Lusa pelo Ministério da Justiça.

Na cerimónia, será assinado por Francisca Van Dunem e pelo Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos da República de Angola um outro protocolo sobre troca de experiências e de informações em matéria de logística, formação e capacitação de recursos humanos nos domínios do registo e do notariado e formação de magistrados.

O Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, condecorou na quinta-feira, com o Grande-Colar da Ordem do Infante D. Henrique, o seu homólogo angolano, João Lourenço, e considerou que a sua visita de Estado a Portugal - a primeira desde que assumiu o cargo há um ano - inicia um "novo e promissor ciclo" nas relações bilaterais.

Esta visita de Estado de três dias é também a primeira do género de um Presidente angolano a Portugal desde 2009 e envolverá a assinatura de 12 acordos entre os dois governos, tendo João Lourenço anunciado ainda, na quinta-feira, que o chefe de Estado português visitará Angola em 2019.

"Partirei de Portugal com a convicção de que esta minha visita em muito poderá contribuir para redinamizar a nossa parceria estratégica e privilegiada, na certeza que podemos ter pela frente um futuro comum promissor e bastante radioso", afirmou na quinta-feira o chefe de Estado angolano, ao discursar na Assembleia da República, em Lisboa.

João Lourenço disse ainda que os dois povos "estão destinados a partilhar um futuro comum de solidariedade e entreajuda facilitado por idioma e valores comuns", insistindo que Portugal é "um parceiro importante" com o qual Angola mantém uma relação sólida e duradoura que precisa de ser alimentada e reiterada com gestos e atitudes de ambas as partes.

O programa oficial da visita de Estado termina no sábado, com a deslocação à Base Naval do Alfeite, estando o regresso de João Lourenço a Luanda previsto para domingo.
Ver comentários