Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Hospital em Vila Real garante novos médicos e investimentos

12 milhões de euros, até 2020, para novas máquinas, obras e criação de balcão único.
José Eduardo Cação 9 de Maio de 2019 às 09:01
Centro Hospitalar de Trás-os-Montes
Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro
Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro
Centro Hospitalar de Trás-os-Montes
Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro
Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro
Centro Hospitalar de Trás-os-Montes
Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro
Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro
O Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD), que agrega os hospitais de Chaves e Lamego, vai investir 12 milhões de euros, até 2020, em novos equipamentos, obras de remodelação no bloco de partos e melhoria da eficiência energética. Será ainda contemplado um projeto que visa a criação de um balcão único.

Ao mesmo tempo foi anunciada a contratação de 65 novos médicos, feita entre 2015 e 2018, o que permitiu que fossem colmatadas algumas lacunas no atendimento aos doentes.

Segundo João Oliveira, presidente do conselho de administração do hospital, o dinheiro será distribuído da seguinte forma: 4,9 milhões de euros na compra de um acelerador linear que irá reforçar a unidade de radioterapia do centro oncológico e que permitirá fazer 100 tratamentos por dia, mais complexos e precisos a iniciar até ao fim de 2020.

Dentro de um mês deverá abrir a unidade clínica e ambulatório médico, ligado ao serviço de Medicina Interna com consultas em tempo útil, que custará 180 mil euros.

Há 4,6 milhões para a renovação de caixilharias, vidros e caldeiras e será introduzida climatização para o frio, com vista a arrefecer o hospital no inverno.

Cerca de 800 mil euros vão para a renovação do bloco de partos, onde os pais vão poder começar a assistir ao nascimento dos filhos. A criação do balcão único e o "percurso do utente" visam melhorar o atendimento e interação com os utentes.

Melhorias a juntar, segundo a direção, aos 65 médicos contratados nos últimos três anos e que ajudou a reduzir tempos de espera, por exemplo, na unidade de Urologia.
Ver comentários