Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Matadouro do Cachão volta esta segunda-feira a funcionar

ASAE mandou encerrar o espaço. Requalificação avançou da forma mais célere possível.
Tânia Rei 18 de Fevereiro de 2019 às 08:59
A carregar o vídeo ...
ASAE mandou encerrar o espaço. Requalificação avançou da forma mais célere possível.
Reabre esta segunda-feira o Matadouro Industrial do Cachão, depois de feitas obras de requalificação do espaço. A infraestrutura tinha sido encerrada a 20 de dezembro, na sequência de uma inspeção da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE).

A tubagem foi substituída, procedeu-se à pintura de paredes, tetos e chão, pintura das linhas de abate e à substituição da ventilação, eletrocutores e portas. A reinspeção para verificação por parte da ASAE foi feita na sexta-feira e atestou as "excelentes condições" higiossanitárias e de trabalho.

Segundo os responsáveis pelo espaço, as obras de intervenção já estavam previstas para janeiro, mas acabaram por ser antecipadas pela fiscalização, que determinou a suspensão da atividade por "causas estruturais relacionadas com a antiguidade da infraestrutura".

"Uma infeliz coincidência", realçam, uma vez em dezembro, época natalícia, "é quando se realizam mais abates". As obras avançaram da forma mais célere possível "para que esta estrutura ficasse à disposição da região, dada a sua importância económica", destacam ainda.

Mas este não foi o único transtorno nos quase dois meses em que não se fizeram abates no Cachão. As soluções para os abates, na região, passaram a ser Bragança, Vinhais e Miranda do Douro, o que implicou custos elevados face à distância.

No período em que esteve encerrado, deixaram de se abater cerca de 2500 animais. Anualmente, são feitos no Cachão 20 mil abates. O matadouro dá emprego a 26 pessoas. A gestão é feita de forma partilhada pelas câmaras de Mirandela e de Vila Flor há mais de uma década.
Ver comentários