Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Administração do Garcia de Orta compromete-se com contratação direta de três pediatras

Marta Temido também se comprometeu com a administração da unidade hospitalar em relação às vagas para a contratação de pediatras.
2 de Maio de 2019 às 11:47
Hospital Garcia de Orta
Hospital Garcia de Orta
Hospital Garcia de Orta
Hospital Garcia de Orta
Hospital Garcia de Orta
Hospital Garcia de Orta
Hospital Garcia de Orta
Hospital Garcia de Orta
Hospital Garcia de Orta
O presidente do conselho de administração do Hospital Garcia de Orta, em Almada, Luis Amaro, afirmou esta quinta-feira, no parlamento, que vão ser contratados diretamente três pediatras e que no próximo concurso haverá quatro vagas de clínicos para a pediatria.

"A primeira reunião que este novo conselho de administração teve foi com o serviço de pediatria, primeiro com o doutor Anselmo Costa [diretor demissionário da pediatria e da urgência pediátrica] e depois com todo o serviço. O compromisso assumido vai na sequência de conselho garantir três contratos diretos de médicos pediatras e, no próximo concurso, que não é só de pediatras, garantir quatro vagas para a pediatria", disse Luis Amaro.

O representante falava na Comissão de Saúde, na sequência de um requerimento do PSD para obter esclarecimentos sobre as "atuais condições de funcionamento, em especial no serviço de pediatria e urgência pediátrica, e assim conhecer as medidas tomadas para garantir a qualidade e segurança nos cuidados prestados às crianças e jovens que ali acorrem".

De acordo com Luis Amaro, a ministra da Saúde, Marta Temido, também se comprometeu com a administração da unidade hospitalar (distrito de Setúbal) em relação às vagas para a contratação de pediatras.

"Três contratos estão aprovados. O trabalho a seguir, e que já encetámos, foram as entrevistas com pediatras para os cativar a vir trabalhar connosco", adiantou.

Em 04 de abril, o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) advertiu que a urgência pediátrica do Hospital Garcia de Orta estava em risco de encerrar a partir de 13 de abril, devido à falta de médicos.

Seis dias depois, a administração referiu que estavam a ser tomadas medidas para combater a falta de médicos na urgência pediátrica, garantindo serviços mínimos, com três especialistas.

Na altura, a Comissão de Utentes da Saúde do Conselho do Seixal alertou para a falta de pediatras no Hospital Garcia de Orta e defendeu reabertura dos Serviços de Atendimento Permanente (SAP) nos centros de saúde do concelho.
Ver comentários