Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Chefe da PSP de Coimbra julgado por aterrorizar a mulher

Arguido de 55 anos perseguiu a vítima e a enteada e abalroou várias vezes a viatura em que seguiam.
Paula Gonçalves 4 de Janeiro de 2019 às 02:40
PSP abalroou carro em que seguiam a mulher e a filha desta
PSP
Polícia
PSP
PSP
A PSP suspeita que a droga 'se destinava a abastecer a grande Lisboa'
PSP abalroou carro em que seguiam a mulher e a filha desta
PSP
Polícia
PSP
PSP
A PSP suspeita que a droga 'se destinava a abastecer a grande Lisboa'
PSP abalroou carro em que seguiam a mulher e a filha desta
PSP
Polícia
PSP
PSP
A PSP suspeita que a droga 'se destinava a abastecer a grande Lisboa'
Um chefe da PSP de Coimbra, de 55 anos, foi acusado pelo Ministério Público de agredir e maltratar a mulher durante mais de um ano e de ter abalroado diversas vezes o carro em que a vítima seguia com a filha, deixando-as feridas. Acusado de violência doméstica, ofensa à integridade física e ameaça agravada, tem o julgamento marcado para hoje no Tribunal de Coimbra.

Os factos ocorreram entre o final de 2016 e janeiro de 2018, data em que é acusado de ter movido uma perseguição de carro à mulher e à enteada, que terminou num posto de abastecimento de combustíveis, onde embateu no carro onde seguiam as vítimas. "O arguido embatia, fazia marcha atrás para ganhar margem e voltava a embater, repetindo essa ação, para além dos dois primeiros embates, pelo menos cerca de 5/6 vezes", refere a acusação.

As vítimas refugiaram-se num quiosque e foram transportadas para o hospital. A acusação refere outras situações de maus-tratos e de violência. Entre os episódios descritos estão insultos, difamação, destruição de móveis e de bens da vítima. O arguido está proibido de se aproximar e tem uma pulseira eletrónica.

Volta a atacar ‘ex’ após ser detido e solto
Um homem de 39 anos foi detido, quarta-feira à noite, pela PSP, em Almada, quando destruía a casa da ex-mulher, à frente dela e dos dois filhos menores. Resistiu à detenção. Foi levado para a esquadra e libertado, notificado para comparecer em tribunal. Pouco depois, a ‘ex’ voltou a ligar à Polícia porque o agressor tinha voltado. Os agentes acorreram ao local, mas já não o encontraram. O homem tem quatro queixas por violência doméstica.
PSP Tribunal de Coimbra chefe da PSP de Coimbra Ministério Público Almada Polícia crime lei e justiça crime
Ver comentários