Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Ex-autarca de Tondela nega crimes em três obras

Além de Carlos Marta, são arguidos no processo mais oito pessoas.
Luís Oliveira 30 de Janeiro de 2019 às 01:30
Ex-autarca de Tondela nega crimes em três obras
Ex-autarca de Tondela nega crimes em três obras
Ex-autarca de Tondela nega crimes em três obras
Carlos Marta foi acusado
Ex-autarca de Tondela nega crimes em três obras
Ex-autarca de Tondela nega crimes em três obras
Ex-autarca de Tondela nega crimes em três obras
Carlos Marta foi acusado
Ex-autarca de Tondela nega crimes em três obras
Ex-autarca de Tondela nega crimes em três obras
Ex-autarca de Tondela nega crimes em três obras
Carlos Marta foi acusado
O antigo presidente da Câmara de Tondela Carlos Marta negou esta terça-feira, em tribunal, qualquer ilegalidade na adjudicação – de forma verbal e por ajuste direto – de três obras à mesma empresa e praticamente pelo mesmo valor.

"Eram obras de valor reduzido, que tinham sido previamente faladas e decididas em reunião com os vereadores face à urgência de se realizarem, porque as ruas estavam completamente destruídas", justificou-se ontem Carlos Marta ao coletivo de juízes.

O também ex-deputado do PSD e candidato derrotado à presidência da Federação Portuguesa de Futebol - eleições ganhas pelo atual presidente, Fernando Gomes - começou esta terça-feira a ser julgado pelos crimes de prevaricação de titular de cargo político, falsificação de documentos e favorecimento de credores.

Em causa estão obras de requalificação de pavimentos em arruamentos em três aldeias. Estas três obras foram adjudicadas por 148 mil euros cada uma - se fosse superior a 150 mil já tinha de ser por concurso público - e "eram urgentes", reforçou o autarca, argumentando que por isso "os contratos foram assinados já com as obras em curso".

PORMENORES
Arguidos e acusação
Além de Carlos Marta, são arguidos no processo mais oito pessoas. A acusação diz que a adjudicação das obras "foi feita sem o prévio procedimento concursal com o propósito de beneficiarem economicamente a Asfabeira".

Julgamento em Viseu
A próxima sessão do julgamento realiza-se a 19 de fevereiro, mas já no Tribunal de Viseu por a sala do Tribunal de Tondela não ter capacidade para tantos intervenientes no processo. Ontem, a sessão da manhã foi interrompida por falha de luz.
Ver comentários