Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Pirómano alcoólico ateia quatro fogos em Tavira

Homem é suspeito de atear fogos sob efeito de álcool e de substâncias psicotrópicas.
João Mira Godinho 14 de Outubro de 2018 às 09:24
População contabilizou quase 10 incêndios suspeitos, na freguesia de Santa Catarina de Fonte do Bispo, desde agosto
Bombeiro
Bombeiros combatem incêndio
Bombeiros
Bombeiros
Incêndio
Bombeiros
População contabilizou quase 10 incêndios suspeitos, na freguesia de Santa Catarina de Fonte do Bispo, desde agosto
Bombeiro
Bombeiros combatem incêndio
Bombeiros
Bombeiros
Incêndio
Bombeiros
População contabilizou quase 10 incêndios suspeitos, na freguesia de Santa Catarina de Fonte do Bispo, desde agosto
Bombeiro
Bombeiros combatem incêndio
Bombeiros
Bombeiros
Incêndio
Bombeiros
Desde o início de agosto que a população de Santa Catarina da Fonte do Bispo, em Tavira, vive aterrorizada pelos incêndios. Sempre aos sábados, e por vezes em mais do que um local quase em simultâneo, já contabilizavam perto de 10 fogos na área florestal que cobre grande parte da freguesia. Este sábado, a Diretoria do Sul da PJ anunciou a detenção de um homem, de 25 anos, suspeito de atear "pelo menos quatro incêndios florestais", na zona.

O primeiro destes fogos "ocorreu a 4 de agosto de 2018, cerca da 00h35, com seis pontos de ignição distintos entre si, tendo consumido uma área de mato, pasto e árvores, alfarrobas e oliveiras", revela a PJ, acrescentando que, desde então, "alegadamente num estado de embriaguez e sob o efeito de substâncias psicotrópicas, com recurso a um isqueiro", o homem ateou outros fogos "que só não chegaram a atingir grandes proporções dada a rápida intervenção dos bombeiros e meios aéreos".

Já no início deste mês, o presidente da junta, Carlos Sousa, tinha dito ao CM que era "tudo muito suspeito" e que a população andava "com receio" que um incêndio tomasse maiores dimensões e atingisse habitações - como esteve quase a acontecer a 22 de setembro. O detido, pedreiro, com antecedentes criminais "por crimes diversos", presente a tribunal, ficou em liberdade com "obrigação de apresentações periódicas e sujeito a tratamento à adição alcoólica" como medidas de coação, adianta a PJ.
Ver comentários