Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Maioria dos homicídios é cometida por familiares, cônjuges ou conhecidos

Relatório Anual de Segurança Interna adianta que o crime aumentou 34,1%, tendo sido registados 110 homicídios voluntários.
Lusa 29 de Março de 2019 às 21:16
Grades de Prisão
Prisão
Grades de Prisão
Prisão
Grades de Prisão
Prisão

Mais de metade dos homicídios voluntários ocorridos no ano passado foram cometidos em contexto familiar, conjugal ou por agressor conhecido, indica o Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) de 2018.

O documento, entregue esta sexta-feira no parlamento, adianta que o crime aumentou 34,1%, tendo sido registados 110 homicídios voluntários, ou seja, houve mais 28 vítimas do que em 2017.

Desde 2014 que os crimes de homicídio tinham vindo a diminuir.

Do total, 19% dos homicídios foram consumados em contexto conjugal ou análogo, em 14% havia uma relação parental ou familiar com a vítima e 24% foram cometidos por pessoa conhecida, o que soma 57% dos casos.

No caso de 39 das vítimas mortas no ano passado, o crime ocorreu em contexto conjugal para 15 mulheres e sete homens ou em relação parental/familiar para 10 mulheres e sete homens.

A arma de fogo e a arma branca continuam a ser os objetos mais utilizados na prática do homicídio e as mulheres continuam a ser as maiores vítimas.

Em relação à totalidade dos arguidos constituídos, 87,5% são homens, percentagem semelhante à da aplicação da prisão preventiva (85,7%). Também entre os detidos a quase totalidade são homens, representando 83,8%.

Em contrapartida, a maior percentagem de vítimas de homicídio são mulheres, representando 60,7%.

O relatório dá conta de uma diminuição de 8,6% da criminalidade violenta e grave no ano passado, em relação a 2017, e de uma descida de 2,6% dos crimes gerais, apesar de se ter registado um aumento de 34,1% dos homicídios e de 46,4% dos crimes de extorsão.

Os crimes que contribuíram para a diminuição da criminalidade violenta e grave no ano passado foram o roubo por esticão, que desceu 18,6%, o roubo na via pública sem ser por esticão, que baixou 9,4%, menos 552.

Relatório Anual de Segurança Interna RASI crime lei e justiça justiça e direitos
Ver comentários