Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
9

Centenário diz que "cachaça com mel é o segredo”

Alípio Pereira foi padeiro em Portugal e porteiro no Brasil. Completou 100 anos de vida em Castro Daire.
Tiago Virgílio Pereira 17 de Setembro de 2018 às 09:00
Alípio Faustino Pereira apagou 100 velas e foi aplaudido e acarinhado por toda a aldeia de Mosteiro do Presépio
Alípio Faustino Pereira apagou 100 velas e foi aplaudido e acarinhado por toda a aldeia de Mosteiro do Presépio
Alípio Faustino Pereira apagou 100 velas e foi aplaudido e acarinhado por toda a aldeia de Mosteiro do Presépio
Alípio Faustino Pereira apagou 100 velas e foi aplaudido e acarinhado por toda a aldeia de Mosteiro do Presépio
Alípio Faustino Pereira apagou 100 velas e foi aplaudido e acarinhado por toda a aldeia de Mosteiro do Presépio
Alípio Faustino Pereira apagou 100 velas e foi aplaudido e acarinhado por toda a aldeia de Mosteiro do Presépio
Alípio Faustino Pereira apagou 100 velas e foi aplaudido e acarinhado por toda a aldeia de Mosteiro do Presépio
Alípio Faustino Pereira apagou 100 velas e foi aplaudido e acarinhado por toda a aldeia de Mosteiro do Presépio
Alípio Faustino Pereira apagou 100 velas e foi aplaudido e acarinhado por toda a aldeia de Mosteiro do Presépio
Alípio Faustino Pereira apagou 100 velas e foi aplaudido e acarinhado por toda a aldeia de Mosteiro do Presépio
Alípio Faustino Pereira apagou 100 velas e foi aplaudido e acarinhado por toda a aldeia de Mosteiro do Presépio
Alípio Faustino Pereira apagou 100 velas e foi aplaudido e acarinhado por toda a aldeia de Mosteiro do Presépio
Nasceu a 11 de setembro de 1918 e ontem festejou 100 anos de vida. Alípio Faustino Pereira celebrou a data na companhia de familiares e amigos. Todos saíram à rua e prepararam uma festa de arromba, na aldeia de Mosteiro do Presépio, em Castro Daire.

O aniversariante estava emocionado, mas muito feliz por ter alcançado uma idade que não é para todos. E revelou o ‘truque’ para a longevidade. "À noite, antes de ir para a cama, o segredo é beber um bocadinho de cachaça com mel", brincou Alípio, que é viúvo, tem dois filhos, cinco netos e duas bisnetas. Durante o tempo que viveu em Portugal foi padeiro. Essa foi a sua arte. Depois, emigrou para o Brasil, onde durante mais de trinta anos ganhou a vida como porteiro.

Os dois filhos, de 70 e 71 anos, moram no país da América do Sul, mas a mais velha marcou presença na festa. "Não estava à espera de uma receção destas. Está tudo muito bonito e todos estão animados. A música [da Tuna dos 60, da Casa do Povo de Castro Daire] dá ainda mais alegria", disse Maria Alice. "É um grande pai e um extraordinário avô", elogiou a filha.

Alípio Pereira sente-se "em forma". Recentemente partiu uma perna, mas garante estar "bem de saúde". Na hora de pedir um desejo, o aniversariante voltou a fazer rir a aldeia beirã. "Só quero fazer mais cinco ou dez anos", atirou, entre sorrisos. "Quando é para pedir, que seja em grande", acrescentou. As celebrações contaram com um almoço, uma missa e um lanche e na aldeia já todos pensam na festa dos 101 anos.
Ver comentários