Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
8

Música popular e bandas de renome em noite de passagem de ano na região Centro

Roteiro das principais festas de Fim de Ano na região Centro com entrada gratuita.
Luís Oliveira e Edgar Nascimento 28 de Dezembro de 2018 às 08:54
Fogo de artifício FOTO: Ricardo Almeida
As festas de Passagem de Ano na região Centro vão ter espetáculos para todos os gostos e idades. Desde a música popular às bandas consagradas, como UHF, Resistência ou Expensive Soul, aos inúmeros DJ que vão animar a madrugada de dia 1, as cidades e vilas da região estão a preparar-se para receber milhares de visitantes.

Em Leiria o castelo volta a ser o cenário para o lançamento do fogo de artifício da Passagem de Ano. Durante oito minutos, vai iluminar os céus da cidade do Liz, com 5700 disparos pirotécnicos. A festa no centro da cidade deambula pelo largo 5 de Outubro e largo Goa, Damão e Diu, jardim Luís de Camões, praça Rodrigues Lobo e o largo Papa Paulo VI, sendo que nestes dois últimos locais há tendas gigantes. São esperadas entre 10 mil e 15 mil pessoas para a noite mais longa do ano.

A Nazaré vai festejar a Passagem de Ano com três noites de música ao ar livre, ao longo da marginal. A cantora Rosinha atua amanhã e os Expensive Soul sobem ao palco no domingo. A noite de Fim de Ano terá a Banda Magma e Rich e Mendes e um espetáculo de fogo de artifício na praia.

A baía de São Martinho do Porto, no concelho de Alcobaça, promete rivalizar com a vizinha Nazaré, oferecendo um espetáculo de fogo de artifício sincronizado com música e realizado a partir de várias plataformas flutuantes colocadas sobre a baía.

Já em Coimbra, são vários os locais onde há espetáculos musicais, com destaque para as atuações de UHF e Diogo Piçarra. À meia-noite, há fogo de artifício no Mondego.

Para quem quer passar o ano novo ao ar livre, convém levar um casaco quente. As previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera indicam que a noite de 31 será fria, com pouca nebulosidade, exceto no Algarve, onde existe uma "probabilidade baixa" de precipitação fraca. No resto dos dias, espera- -se céu limpo e temperaturas baixas.

Serra da Estrela está com os hotéis esgotados para a Passagem de Ano
Mesmo sem abundância de neve os hotéis da serra da Estrela vão passar o ano com a lotação esgotada. No Hotel Serra da Estrela o pacote de Réveillon, que inclui três noites, varia entre 532 e 655 euros. Nos Chalés de Montanha o preço de duas noites para seis pessoas é 1015 euros por chalé, mas não inclui o jantar e a festa de Réveillon.

A Pousada Serra da Estrela oferece um pacote de três noites, que chega aos 900 euros, enquanto o Hotel dos Carqueijais tem preços a partir dos 386 euros.

Vendas de espumante da Bairrada sobem em 2018
As vendas de espumante disparam nesta altura do ano para o tradicional brinde de Ano Novo. Uma bebida que até há pouco tempo era sazonal, com resultados anuais a refletiram o aumento no último trimestre, é agora uma tendência que tem vindo a ser alterada, com as vendas a subirem nos restantes meses do ano.

"O espumante já não tão sazonal", afirma Alexandrino Amorim, das Caves São Domingos, em Ferreiros, Anadia. "Este ano vamos novamente com um aumento na ordem dos 10% nas vendas e contamos atingir a fasquia dos quatro milhões de euros [de faturação], que era o que ambicionávamos", revela.

"O consumo de espumante já não é só nas datas festivas", adianta Célia Alves, das Caves São João, em Avelãs de Camainho, Anadia, que este ano conta fechar o ano com um aumento de 5% nas vendas, "à semelhança do que aconteceu no ano passado".

"Em 2017 faturámos um milhão e trezentos mil euros", revela a gerente. Números que animam os produtores da região da Bairrada, que destacam não só o crescimento na produção, mas essencialmente do valor acrescentado ao produto, cujo segredo passa pelo "prolongamento do tempo de estágio", confidencia Alexandrino Amorim. "O caminho tem sido lento, mas de passos seguros", garante.

Um trabalho de produção para o qual "temos de estar preparados", diz Célia Alves, que recuperou o rosé espumante com a produção de sete mil garrafas em 2012. Agora, esse espumante rosé já ascende as 40 mil garrafas e tem conquistado países como os EUA, Canadá, Bélgica, Brasil e prepara-se para entrar em Macau.

Oito milhões de litros vendidos em 2017
No ano passado foram vendidos 8,1 milhões de litros de espumenta em Portugal, um aumento de 21% em termos de volume face a 2016.
Ver comentários