Barra Cofina

Correio da Manhã

Sociedade
5

Novos bispos querem mais proximidade com a população

D. Rui Valério ordenado bispo das Forças Armadas. D. Daniel Henriques é o novo bispo-auxiliar de Lisboa.
Francisca Genésio e J.S. 26 de Novembro de 2018 às 17:25
Cerimónia decorreu no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa
Cerimónia decorreu no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa
Cerimónia decorreu no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa
Cerimónia decorreu no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa
D. Daniel Henriques
Rui Valério
Cerimónia decorreu no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa
Cerimónia decorreu no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa
Cerimónia decorreu no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa
Cerimónia decorreu no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa
D. Daniel Henriques
Rui Valério
Cerimónia decorreu no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa
Cerimónia decorreu no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa
Cerimónia decorreu no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa
Cerimónia decorreu no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa
D. Daniel Henriques
Rui Valério
O novo bispo das Forças Armadas, D. Rui Valério, e D. Daniel Henriques, novo bispo-auxiliar de Lisboa, defenderam este domingo, na cerimónia de ordenação, uma maior proximidade com a população.

"A Igreja não se deve fechar sobre si mesma, mas sim abrir-se à colaboração com as instituições, para o bem comum", disse o bispo-auxiliar de Lisboa.

Também o novo bispo das Forças Armadas quer "aproximar-se de todos durante a missão", sublinhando que terá uma "leal colaboração". D. Rui Valério, que já serviu as Forças Armadas como capelão, realçou ainda o "reconhecimento do Estado perante a Igreja" e explicou que se sente "de novo em casa".

A celebração foi presidida pelo cardeal-patriarca de Lisboa, no Mosteiro dos Jerónimos. Durante a homilia, D. Manuel Clemente desafiou os novos bispos a prestarem "serviço total" durante a sua missão. Desde 1931 que não era realizada uma ordenação conjunta de dois bispos em Lisboa, lembrou o cardeal-patriarca.

D. Daniel Henriques, que conta 52 anos, era pároco em Torres Vedras, enquanto D. Rui Valério, de 53 anos, era padre em Póvoa de Santo Adrião, Odivelas.

Ministros presentes na celebração
Os dois novos bispos, D. Rui Valério e D. Daniel Henriques, fizeram questão de agradecer, no final da missa, às respetivas famílias. Dirigiram também a palavra ao ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, assim como ao ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho.

Cardeal D. António Marto sublinha ligação entre Roma e Fátima em tomada de posse
u O cardeal D. António Marto tomou ontem posse da Basílica de Santa Maria Sopra Minerva, na capital italiana, sublinhando na homilia da missa a que presidiu a ligação entre Roma e o Santuário de Fátima.

"A ligação de afeto ao Papa pela presença das relíquias de Santa Catarina de Sena, padroeira de Itália, ela que era tão afeiçoada pelo Papa; por outro lado, a ligação a Fátima: a basílica é um ponto de referência para os fiéis de Roma na devoção a Nossa Senhora do Rosário", assinalou D. António Marto.

PORMENORES
Nomeações em outubro
D. Daniel Henriques estava há dois anos na paróquia de Torres Vedras quando foi nomeado pelo Papa Francisco no dia 13 de outubro deste ano. Na altura, a notícia foi-lhe comunicada pelo cardeal-patriarca, D. Manuel Clemente. Já D. Rui Valério foi nomeado pelo Sumo Pontífice no dia 29 de outubro. Foi capelão militar no Hospital da Marinha e na Escola Naval.

Cáritas avalia imagem
A Cáritas Portuguesa reuniu-se em conselho geral, no fim de semana, com representantes de 20 dioceses que constituem a rede nacional, assumindo a intenção de avaliar a impacto da sua ação. Durante o próximo ano, a Cáritas vai também procurar "uniformizar os critérios administrativos" da organização. Para isso, irá desenvolver dois projetos.
Ver comentários